África, Marrocos

Vale do Dades, o vale dos mil kasbahs no Marrocos

Post 2 de 4 Viagem De Marraquexe Para O Deserto Do Saara

Um dos lugares que eu fazia questão de conhecer quando fui para o Marrocos era o Deserto do Saara. Mas a viagem de Marraquexe ate lá é uma pegada boa. Pra vocês terem uma noção da distância, a viagem de carro de Marraquexe até as dunas de Merzouga é de aproximadamente 550km. Mas se engana quem pensa que essa é uma viagem monótona e cansativa pra se fazer. Muito pelo contrário, o caminho todo é repleto de locais super interessantes e cheios de história, além da possibilidade de admirar a linda paisagem natural do país. Hoje eu vou falar do deslumbrante Vale do Dades.

Essa região fica na principal rota entre Marraquexe e o Deserto do Saara. Pra falar a verdade eu não tinha noção que a natureza do Marrocos fosse me surpreender tanto assim.

Além disso, viajando pelo interior do país eu pude ter uma ideia muito mais clara da diversidade e da beleza natural do Marrocos. A paisagem mudava de aspecto o tempo todo. Aos poucos fomos deixando para trás as montanhas do Alto Atlas e os tons do deserto começaram a aparecer.

Oásis de palmeiras em Tinghir, Marrocos
Oásis de palmeiras em Tinghir, Marrocos.

Como Fui De Marraquexe Ao Vale Do Dades

Basicamente existem duas opções para ir de Marraquexe ao Deserto do Saara. Uma delas é ir por conta própria pegando o transporte público, digamos que essa opção é mais em conta, porém você vai precisar de mais tempo. A segunda opção é reservar um pacote com uma agência de turismo, essa opção pode sair mais cara, porém você vai fazer esse trajeto em menos tempo.

Eu escolhi fechar um pacote com uma agência de turismo por dois motivos. Primeiro porque iria me salvar um dia de estrada, o que significava um dia extra pra conhecer outro lugar. Segundo pela comodidade. Ou seja, não ter que me preocupar com as acomodações, o transporte e todas as outras burocracias de uma viagem com pouca grana.

Foram 3 dias inteiros de passeio e mais de 1000km percorridos pelas estradas do Marrocos. Decidi dividir essa viagem em um série de 4 posts pra ficar mais fácil pra vocês compreenderem o roteiro. O primeiro post dessa série já está pronto, onde eu conto todos os detalhes da minha visita ao famoso kasbah de Ait Benhaddou, patrimônio da UNESCO. Esse é o segundo post dessa série e nele vou falar sobre todos os lugares que eu conheci no Vale do Dades. O post do Deserto do Saara também já esta pronto, caso você queira conferir.

Você vai encontrar nesse post:
Sobre o Vale do Dades
Primeira parada » Monkey Paws Mountains
Segunda parada » Passando a noite no Vale do Dades
Terceira parada » Boumalne Dades
Quarta parada » Palmeraie de Tinghir
Última parada » Les Gorges du Todra

Sobre O Vale Do Dades

O Vale do Dades se estende por dezenas de quilômetros na região de Drâa-Tafilalet. De um lado ficam as Montanhas do Alto Atlas e do outro lado, a cordilheira Jbel Sarhro. O Vale do Dades é composto por uma série de desfiladeiros de rochas de arenito e calcário, que foram esculpidas pelo curso do Rio Dadès. Por isso, essa região tem também lindos oásis pelo caminho.

Esse vale também é conhecido como Vale dos Mil Kasbahs. Kasbahs são estruturas fortificadas encontradas no Marrocos, um local onde a populações se protegiam de invasões e ataques. Alguns deles ainda são povoados e bem bonitos, outros são totalmente desolados. Tradicionalmente, as pessoas dessa região viviam nos kasbahs espalhados pelas planícies do rio. Mas nos últimos anos elas estão se concentrando em aldeias maiores no final do vale.

Eu tive a oportunidade de conhecer o Kasbah Ait Benhaddou, mas existem outros que pelo que eu vi, parecem valer muito a pena conhecer. Como por exemplo o Kasbah Tifoultoute em Ouarzazate e o Kasbah Telouet em Telouet.

Região do Vale do Dades, Boumalne Dades
Um dos inúmeros kasbahs da região do Vale do Dades, Marrocos.

Primeira Parada » Monkey Paws Mountains

Como eu já escrevi em outro post, nós saímos de manhã de Marraquexe e viajamos de carro a manhã toda até o kasbah de Ait Benhaddou, onde paramos pra conhecer o kasbah por dentro e depois para almoçar.

Depois do almoço nós continuamos a viagem de carro, para o que chamo agora de segunda parte da viagem. Foram mais ou menos uns 150km de viagem entre Ait Benhaddou e a região de Boumalne Dades, onde iríamos passar a noite.

Mas antes de irmos para o hotel, o motorista do passeio nos levou primeiro para conhecer um formação rochosa bastante curiosa que fica na região de Tamellalt. Essa formação rochosa é conhecida localmente como Monkey Paws Mountains ou também Monkey Fingers (Dedos de Macaco). São uma série de rochas esculpidas em formatos arredondados.

Essas formações rochosas são o resultado do processo de gelo-degelo. A água, presa abaixo das finas camadas de lama e rocha congela à noite e derrete durante o dia – dividindo assim as camadas de rocha que se desintegram e deixam uma superfície curvada.

Eu nunca tinha visto nada parecido antes. Como já era o finalzinho da tarde, a luz do dia deixou essa paisagem ainda mais surpreendente. Aproveitei que essa seria a nossa última parada do dia antes de ir para o hotel, para curtir o cenário e tirar muitas fotos.

Monkey Fingers, Vale Dades, Boumalne Dades
Formação rochosa conhecida como Monkey Paw Mountains em Tamellalt, no Vale do Dades.

Segunda Parada » Passando A Noite No Vale Do Dades

Depois dessa parada no Monkey Fingers dirigimos por mais alguns minutos e fomos direto para o pequeno hotel onde íamos passar a noite, o hotel Ecobio Riad. Esse hotel fica localizado numa região muito pitoresca e bem estreita do Vale do Dades, mais ou menos uns 13km da cidade de Boumalne Dades.

A nossa noite nesse hotel já estava inclusa no pacote que fechamos com a agência de turismo. No caso, eles te dão 3 opções quando você reserva esse pacote: a econômica, a intermediária e a de luxo. Pelo que eu conversei com os funcionários da agência, a única coisa que muda entre elas, é esse hotel da primeira noite. Eu escrevi mais alguns detalhes dessa tour no final desse post.

Se tivéssemos escolhido a opção econômica, teríamos ficado em um hostel que hospeda um número grande de viajantes. Provavelmente teríamos que dividir quarto. A de luxo não cabia no nosso orçamento. Então eu acho que acertamos em cheio com essa escolha da intermediária, pois o hotel Ecobio Riad apesar de simples e pequeno, é super aconchegante.

Ao chegarmos no hotel, o motorista foi direto conversar com os funcionários pra prepararem o nosso quarto. Enquanto esperávamos eles organizarem tudo, aproveitamos para conhecer um pouco mais das áreas comuns do hotel. Como eu disse, ele é bem pequeno deve ter no máximo uns 10 quartos que ficam ao redor de um pátio central, onde tem também um pequeno restaurante.

Fomos conferir a estrada do lado de fora e a entrada principal do hotel. Na verdade não tem nada ao redor do hotel, somente uma ou outra acomodação. Em seguida passeamos pelo pátio central, onde eles organizaram algumas áreas para descanso com tapetes, puffs, cadeiras e mesinhas.

Enquanto esperávamos eles resolverem a situação do quarto, um dos funcionários do hotel nos serviu um delicioso chá berbere e sementes de pistache. Aproveitei que o sol estava se pondo pra poder admirar a beleza do vale. O cenário ficou ainda mais dramático com a mistura dos tons alaranjados.

Vale Dades, Dades Valley, Marrocos, Ecobio Riad
Assistindo ao por do sol no Vale do Dades, Marrocos.

Esse foi um dos momentos mais especiais da viagem, eu me senti muito privilegiada em poder estar desfrutando da receptividade dos marroquinos, conhecendo um pouco mais da sua cultura através da comida e bebida que tinham me servido e admirando a beleza excêntrica da sua natureza. Era tudo tão perfeito que nem parecia ser real.

Esse é um daqueles momentos que eu fecho os olhos e respiro fundo, com a intenção de deixar tudo gravadinho na memória. Pra sempre que sentir saudades do Marrocos, fechar os olhos e relembrar exatamente o que eu estava sentido naquele momento.

Assim que o quarto ficou pronto, fomos lá conferir onde íamos passar a noite. O quarto era bem espaçoso, tinha uma cama e uma mesinha com cadeira. Um banheiro privado com chuveiro daqueles meio sem pressão, mas isso era o de menos. Porque o melhor de tudo era nossa vista, nossa janela era de frente pro vale. Tipo camarote mesmo!


Leia também:

Roteiro de 3 dias em Marraquexe
Acampando no Deserto do Saara
Roteiro de 10 dias no Marrocos


Deixamos nossas malas no quarto, tomamos um banho e em seguida fomos jantar. O hotel tem um pequeno restaurante no pátio central onde a maioria dos hóspedes fizeram sua refeição, inclusive a gente. Porque na verdade, todas as refeições nessa tour estavam inclusas, menos as bebidas que tínhamos que pagar a parte. Mas o nosso jantar e o nosso café da manhã nesse hotel estavam inclusos.

No jantar tinham umas opções diferentes que já estavam preparadas e podíamos escolher a que mais nos agradasse. Mas no geral era comida típica marroquina. Eles também nos serviram um pratão cheio de salada de tomate com alface, maçã e laranja. Depois disso, pra nossa surpresa ainda nos serviram sobremesa! Um flan de baunilha com pedacinhos de banana. Estava tudo uma delícia.

Na manhã seguinte o café da manhã foi servido bem cedo. Tinha uma mesa pronta no restaurante com café, chá, leite quente, ovos, iogurte, bolachas, pão de forma, manteiga e geleia. Tudo bem simples mas a gente podia se servir à vontade. Depois do café da manhã o motorista já estava pronto no pátio nos esperando pra fazer o check-out e continuar nossa viagem rumo ao deserto.

Terceira Parada » Boumalne Dades

Deixamos o hotel por volta das 7:30 da manhã para continuar nossa viagem de carro. A programação era fazer algumas paradas no caminho ao longo do dia e chegar ao Deserto do Saara no final da tarde. Assim que saímos do hotel, o motorista dirigiu por uns vinte minutos pelas curvas do vale e quando vi já estávamos em Boumalne Dades, uma pequena e tranquila cidade no coração do Vale do Dades.

Boumalne Dades é uma pequena cidade na província de Tinghir com aproximadamente 13 mil habitantes. A maioria dos seus residentes são berberes. A cidade em si não tem muito o que fazer, os turistas geralmente vem até aqui por dois motivos. Um deles é para servir de base enquanto exploram a região do Vale do Dades. O outro motivo é porque ela fica na rota de quem está à caminho do deserto em Merzouga. Por isso Boumalne Dades se tornou uma parada estratégica para muitos turistas.

A gente não ia parar pra conhecer a cidade, só ia passar direto mesmo. Mas eu acho que o nosso motorista tinha que fazer algumas compras pra casa, então ele estacionou o carro em uma avenida e desapareceu por alguns minutos. Lógico que eu aproveitei pra pular fora do carro e conferir o que tinha em volta.

Em seguida continuamos de carro estrada à cima e paramos em um mirante pra apreciar essa vista da cidade ocre, algo bem característico do Marrocos. Em volta da cidade não tem nada, só um vasto planalto com aspecto de deserto.

Porém, o Rio Dades atravessa pelo meio da cidade e ao redor dele tem uma vegetação muito bonita. Que cenário fantástico! Incrível imaginar tem gente morando num lugar como esse. Pra mim, eu já definiria essa cidade como um verdadeiro oásis no meio do deserto.

Quarta Parada » Palmeraie De Tinghir

E por falar em oásis, quando penso que já tinha visto muito lugar bonito e que agora só faltava chegar no deserto, descobri que eu estava errada e que ainda teria muitas surpresas no caminho.

De Boumalne Dades dirigimos por mais ou menos uma hora para a nossa próxima parada, o Palmeraie de Tinghir. O motorista parou o carro na beira da estrada pra gente poder conferir o oásis de palmeiras da cidade de Tinghir.

Um lindo cenário natural onde a vegetação se mistura com rochas áridas e o pequeno vilarejo. O clima estava super gostoso, o céu azul sem nenhuma nuvem. Isso fez com que as cores das palmeiras se destacassem ainda mais.

De repente eu estava ali, com um oásis enorme diante de meus olhos. Sabe aquelas coisas que a gente acredita que só existe em filme? Fala sério, tão inacreditável que até parece que eu fiz montagem nessa foto! 😀

Oásis de palmeiras em Tinghir, Marrocos
Oásis de palmeiras em Tinghir, Marrocos.

Última Parada » Les Gorges Du Todra

A gente não ficou muito tempo parados no oásis pois ainda tínhamos muito chão pela frente, então seguimos nossa viagem de carro. Depois de meia hora chegamos no Les Gorges Du Todra ou Todra Gorges. Pra mim, esse foi o destaque do dia e diria também que essa é a parte mais bonita do Vale do Dades.

O Todra Gorges é um cânion formado por altos penhascos de calcário, as rochas aqui chegam a medir quase 300 metros de altura e em alguns pontos se estreitam em até 10 metros de distância uma das outras. Esse local é muito popular entre os apaixonados por escaladas. O Rio Todra passa por dentro desse penhasco, ao lado do rio tem uma pequena estrada e do outro lado tem uma pequena construção, se não me engano é um hotel.

Esse cânion é realmente um daqueles lindos espetáculos da natureza. No dia da minha visita, não tinha sequer um turista perambulando por ali. O guia confirmou que o lugar é pouco conhecido e ainda não está completamente tomado pelo turismo. Outra coisa, por enquanto não paga nada pra visitar, vamos ver como vai ser daqui uns anos. Porque esse lugar é surreal de lindo.

O Deserto do Saara é sem dúvidas o que eu mais estava ansiosa pra conhecer. Mas com tanto lugar lindo que eu tive a oportunidade de conhecer pelo meio do caminho, fica difícil dizer que essa viagem não valeu a pena do começo ao fim. Nunca imaginei que o Marrocos pudesse ser tão incrível e que me surpreenderia tanto. Essa viagem incrível continua no próximo post: Rissani.

Nota: Fiz uma tour privada de 3 dias com o roteiro Marraquexe → Deserto do Saara → Fez. Tivemos varias paradas nos principais pontos turísticos ao longo do caminho. Não é a opção mais barata mas é a mais prática. Optei por fazer a tour privada pois ela dá uma liberdade maior, é tudo no seu passo. Eu pesquisei diversas agências de turismo que fazem o passeio no deserto e depois de comparar preços, acomodação, itinerários eu optei pela Marvelous Morocco Tours. Pra esse passeio eles tem 3 pacotes diferentes: o econômico, o intermediário e o de luxo. Optei pelo intermediário e a única coisa que muda entre os 3 é o hotel do primeiro dia. Gostei do profissionalismo deles, foram muito eficientes desde a troca de e-mails com Iddir até o momento que o guia Ibrahim me deixou na riad em Fez. O nosso guia dirigia super bem, falava inglês e outras 5 línguas. Estou satisfeita com a escolha e indico pra quem estiver pensando em fazer um passeio desses. É um investimento que vale a pena.

Veja todos os posts do Marrocos no Mais Um Destino.

Vai passar mais do que um dia em Boumalne Dades? Reserve seu hotel no booking.com usando o link do blog. Além de oferecer segurança e acomodações incríveis, você ainda me ajuda a manter o Mais Um Destino no ar sem pagar nada por isso! Muito obrigada. 🙂

Curtiu? Compartilhe.

6 comentários em “Vale do Dades, o vale dos mil kasbahs no Marrocos”

  1. Boumalne Dades é um oásis, formado por outros oásis no deserto de Marrocos. É um espetáculo!!.

    1. Essa viagem pelo interior do Marrocos me deixou apaixonada pela natureza, cultura e o povo marroquino. Com certeza esse país é uma ótima opção pra quem gosta de destinos mais exóticos.

  2. Com certeza o sucesso de suas viagens é ter sempre clareza e foco nos objetivos, muito trabalho e muita fé também!! Parabéns, parabéns!!

    1. Exatamente. Eu gosto de planejar e pesquisar bastante, mas uma vez que embarco na viagem, sempre procuro olhar tudo com bons olhos.

    1. Eu sempre gostei de conhecer países mais exóticos e explorar locais menos explorados. Fico muito feliz em poder mostrar ao mundo a beleza desse lugar!

Deixe seu comentário