198 Livros, Comores

198 Livros: Comores – The Kaffir of Karthala

Confesso que eu fiquei confusa quando vi que tinha sorteado o Comores para o projeto. Peraí, onde fica esse país? Será que eu nao errei a grafia na hora de imprimir o papel e ao invés de colocar o país Camarões eu errei a digitação e coloquei Comores? Não, a grafia estava correta, e sim, o próximo livro era do Comores.

Uma das vantagens do Projeto 198 Livros é descobrir países que até então a gente pouco ouve falar. Tive que pesquisar no Google a localização geográfica desse país, pois eu não tinha a menor ideia. Descobri que é um arquipélago na costa leste da África entre o Madagascar e Moçambique. Ele é composto por 3 ilhas principais que são: Grande Comore, Mohéli, Anjouan e outras ilhas menores.

O país é bem pequeno, então não foi difícil decidir qual livro escolher para o projeto. Tanto que as duas blogueiras que eu sigo que participam desse projeto, a Camila Navarro e a Ann Morgan, leram esse mesmo livro. Ou seja, acho que não há muitas outras opções.

The Kaffir of Karthala é um livro do comorense e ex-representante das Nações Unidas, Mohamed Toihiri. Antes de começar a leitura eu pesquisei um pouco mais sobre as duas palavras que dão nome ao livro. A palavra kaffir tem dois significados: pode ser um termo depreciativo para ‘negros’ africanos, como também pode significar infiel ou incrédulo – como mencionado no alcorão. Karthala é um vulcão ativo como também o ponto mais alto do país Comores.

O livro conta a história de Idi Wa Mazamba, o personagem principal do livro, um muçulmano que trabalha como médico clínico geral no hospital público El-Maarouf na capital Moroni, na ilha de Grande Comore.

Idi é casado com Kassabou mas não é feliz em seu casamento. Sua esposa reclama demais e nunca lhe disse que lhe ama. Apesar da esposa acreditar que demonstra seu amor por nunca tê-lo traído, sempre deixar comida pronta quando ele chega em casa e sempre deixar as roupas lavadas e passadas pra ele usar. Juntos eles tem uma filha de 8 anos, Lafouza, por quem o pai é apaixonado.

Logo no começo do livro, o Dr Mazamba descobre que tem um tumor nas costas e que por isso lhe restam poucos meses de vida. Apartir daí, ele começa a ver o mundo com outros olhos, digamos, começa a se rebelar contra os padrões culturais. Deixa de fazer coisas por obrigação ou só para manter as aparências. Inclusive ele até começa um romance com uma amante francesa branca, professora de ensino médio, chamada Aubéri de Kadiftchene.

Esse é um daqueles livros que vem cheio de bagagem cultural, do jeitinho que eu procuro para o projeto. Nele eu aprendi um pouco mais sobre a cultura comorense. Como por exemplo a importância que eles dão ao casamento que eles chamam de anda, ou ‘casamento grandioso’.

Essa cerimônia religiosa milenar foi passada de geração à geração. Pode ser feito com a mesma esposa ou com uma segunda esposa. É um símbolo de status social nos Comores, e todos os comorenses que se preze deve realizar um casamento desses em alguma etapa da vida. Esse é um casamento bem caro, onde os preparativos começam meses antes.

Eu demorei um pouco pra pegar ritmo na leitura. Mas uma vez que conheci mais do Dr Mazamba, aceitei ele da forma como ele é sem pre-julgamentos, o livro ficou mais fácil de ler. Com certeza agora sei um pouco mais sobre o Comores do que eu sabia antes de ler esse livro. Foi maravilhoso conhecer e se apaixonar pela ilha, através dos olhos do Dr Mazamba.

The Kaffir of Karthala foi publicado originalmente em francês em 1992. A tradução para o inglês foi publicada em 2018 pela Createspace Independent Publishing Platform. O livro está disponível em inglês na Amazon e também na Book Depository com frete grátis para todo o mundo.

Para saber mais sobre o Projeto 198 Livros, clique aqui.

Compartilhe:

Deixe seu comentário