Europa, Lituânia

Siauliai

Eu lembro que a primeira vez que ouvi falar dessa cidade foi em um curso de inglês que eu fiz logo quando me mudei pra Londres. No meu grupinho da sala de aula tinha uma menina lituana de Siauliai, a Kristina, que inclusive é minha amiga até hoje. Enquanto eu falava bastante do Brasil e da minha cidade, Kristina me falava muito da cidade dela, como foi crescer e estudar lá, entre outras coisas. Ela me dizia que um dos lugares mais visitados na sua cidade era o Morro das Cruzes (Hill of Crosses). Eu nunca poderia imaginar que um dia visitaria esse lugar.

Morro das Cruzes (Hill of Crosses) em Siauliai, Lituânia.

Muitos anos depois, quando eu trabalhei em um restaurante no bairro de Mayfair em Londres, conheci uma outra lituana que também era de Siauliai, seu nome era Arune. A Arune falava muito e falava o tempo todo da cidade dela. E vivia me dizendo: “Nadia, você precisa conhecer o Morro das Cruzes, é um lugar incrível.” E de tanto ela falar desse lugar, quando a oportunidade de viajar de carro pela Lituânia apareceu, não perdi tempo e coloquei Siauliai no roteiro. Até aonde eu sei, não existe nenhum outro lugar no mundo como esse.

Siauliai é a quarta maior cidade da Lituânia, com uma população de um pouco mais de 100 mil habitantes. Seu nome tem origem na palavra Saule, que em lituano significa Sol. Sendo assim, ela foi nomeada após a Batalha do Sol que ocorreu ali nas proximidades por volta do ano de 1236. O nome da cidade tem uma pronuncia bem diferente da escrita, seria algo como “Xiolê”.

A cidade se desenvolveu ao longo dos séculos como um importante centro industrial, educacional e cultural. Porém, durante a Primeira Guerra Mundial a cidade foi completamente bombardeada e destruída. No intervalo entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, a cidade conseguiu se recuperar mas novamente foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial. Com a independência da Lituânia em 1991, as tropas soviéticas se retiraram porém a parte histórica da cidade (com exceção de poucos edifícios e igrejas) foi destruída.

 Como vim parar em Siauliai

Não foi na primeira, nem na segunda, mas na terceira vez que viajei para a Lituânia que consegui visitar essa cidade. Aconteceu que, eu ia passar um dias na casa da minha cunhada que fica em uma vilazinha próxima à cidade de Dusetos no noroeste da Lituânia. Só que, o aeroporto de Vilnius estava fechado pra reforma, então tive que pegar um avião até Riga, a capital da Letônia e de lá continuar a viagem de carro pra Lituânia.

Eu e o Junior na fronteira entre Lituânia e Letônia.

A viagem toda foi muito gostosa. No primeiro dia conhecemos Riga e passamos a noite em um hotel um pouco mais afastado do centro da capital. No dia seguinte, atravessamos o país em direção à Lituânia, parando nas cidadezinhas mais interessantes ao longo do caminho. Atravessamos a fronteira entre os dois países e chegamos em Siauliai no final do dia. Só tínhamos energia suficiente pra procurar um restaurante pra jantarmos. Depois da janta fomos direto descansar pra poder aproveitar bastante o dia seguinte e continuarmos a viagem.

Morro das Cruzes

Na manhã seguinte não tínhamos muito tempo pra explorar a cidade, pois ainda tínhamos que percorrer mais de 200 km até o nosso destino final. Então logo após o café da manhã fomos conhecer a principal atração turística da cidade, o Morro das Cruzes. Finalmente consegui visitar esse local tão falado pelas minhas amigas. Pra mim foi muito especial estar aqui, pois eu sei da importância desse lugar para elas.

Quando chegamos ao local pudemos notar a imensidão da fila de carros estacionados ao longo da estrada, pois essa atração fica à 16 km do centro da cidade. Haviam também alguns ônibus de viagem com turistas de diversas partes do mundo. Do carro caminhamos por alguns minutos ao longo de uma via cimentada que dá acesso direto ao morro. Fiquei impressionada com o que vi diante dos meus olhos, é um local que tem uma energia diferente. Mas além disso, possui uma história interessantíssima.

O Morro das Cruzes é um lugar único que atrai milhares de fiéis todos os anos. No topo desse morro estão cravadas centenas de milhares de cruzes de todos os tamanhos, cores e estilos possíveis que foram colocadas aqui por centenas de anos. Essas cruzes representam a devoção cristã e um memorial à identidade nacional lituana. Esse local não é um símbolo de tristeza e morte, e sim de Fé, Amor e Sacrifício.

Estima-se que as primeiras cruzes foram depositadas pelos familiares das vítimas da rebelião em 1831, pois o governo czarista não permitia que as famílias honrassem seus mortos adequadamente. No início do século 20 o Morro das Cruzes já era conhecido como um lugar sagrado, onde além da visita de peregrinos, missas eram celebradas.

Hill of Crosses – um local símbolo da resistência pacífica do catolicismo lituano.

Durante a era soviética, a peregrinação ao Morro das Cruzes se tornou uma expressão do nacionalismo lituano. Porém, o regime soviético considerava esse local hostil e ofensivo. Em 1961, depois em 1973 e posteriormente em 1975 todas as cruzes foram destruídas e queimadas. Até o próprio morro foi destruído, ou melhor dizendo removido, diversas vezes por escavadeiras! E sempre que as cruzes eram removidas, o povo lituano voltava ao morro e depositava novamente mais e mais cruzes.

Quantas cruzes existem nesse lugar? Impossível dizer ao certo. Em 2006 estimava-se que haviam aproximadamente mais de 100 mil cruzes. Algumas são de madeira esculpidas, outras em metal. Algumas chegam a atingir 3 metros de altura, enquanto outras menores são penduradas nas cruzes maiores. Algumas parecem estar lá há dezenas de anos devido ao estado deteriorado em que se encontram.

Outra informação importante que vale muito a pena mencionar: o local ficou mundialmente famoso após uma visita do papa João Paulo II em 1993. Em sua missa no local ele disse:

Filhos e filhas desse país tem trazido cruzes até esse monte, semelhante ao Gólgota, que viu a morte do nosso Salvador. Dessa maneira, as pessoas declaram sua crença sincera de que seus irmãos e irmãs falecidos “encontraram a eternidade”. A cruz é um símbolo da vida eterna em Deus. [fonte]

Ao longo dos séculos, o monte passou a significar a resistência pacífica do catolicismo lituano. Por esse motivo ele tem tanto significado para os lituanos. Até os dias de hoje fiéis visitam o local para depositarem cruzes, fazer orações e conhecer um pouco mais da fascinante história desse lugar.

Uma das coisas que mais mexem comigo é a demonstração de fé do ser humano, seja de qual religião for. Eu sempre me emociono quando visito lugares como esse, que tem um significado de resistência e muita fé envolvidos. Isso serviu pra eu admirar ainda mais a força do povo lituano e renovar a minha própria fé.

Onde Comer em Siauliai

Nossa passagem pela cidade foi bem rápida. Só conseguimos conhecer um restaurante, o Smaku Smakas, que foi aonde jantamos logo na noite em que chegamos. O restaurante fica em um rodovia, um pouquinho mais afastado do centro da cidade, então fomos até lá de carro.

Pensa em um restaurante gigantesco? Muitas mesas do lado de dentro e do lado de fora, que foi onde escolhemos nos sentar pois por ser verão estava uma noite bem agradável. Da mesa podíamos apreciar os lindos jardins, pequenos lagos e a vista do campo que rodeiam o restaurante.

Eu amo a culinária lituana, resolvi experimentar uns pratos típicos e estava tudo uma delícia. Uma das coisas que notei nos clientes do restaurante, principalmente as mulheres, foi o fato de como elas estavam todas vestindo roupas elegantes. A maioria delas estavam muito bem arrumadas, de salto, maquiagem e cabelos feitos. Fiquei curiosa pra saber o motivo.

Foto retirada do site oficial do restaurante Smaku Smakas.

Onde Se Hospedar Em Siauliai

Nós estávamos em 5 pessoas, então decidimos reservar uma casa ao invés de um hotel pra ter um pouco mais de conforto e sossego. Além do que é sempre bom ter uma cozinha disponível pra preparar uma refeição caso haja necessidade.

Então ficamos hospedados uma noite na Lina’s House que fica em Verduliukai, um bairro à uns 5 km do centro de Siauliai. Essa é uma casa com 3 quartos, acredito que ideal pra até 5 ou 6 pessoas. Tem um jardim enorme, cozinha toda equipada, sala com televisão, garagem e até um pula-pula no jardim. Tudo muito novo, limpinho e organizado.

Se você clicar aqui no link acima você vai direto pra página onde reservamos essa acomodação, porém, notei que o preço está o dobro do preço que pagamos na época em que estivemos em Siauliai. A casa é linda, muito confortável, mas eu acredito que vale a pena pesquisar um pouco mais pra encontrar algum lugar com um preço melhor.

Vista da varanda da casa para o jardim.
Compartilhe:

4 comentários em “Siauliai”

  1. Que interessante. Muito bonita a história, o lugar. Que bom que você foi, conheceu, e ainda se dispôs a dividir informações aqui. Beijos.

    1. Foi muito especial conhecer esse lugar por ser tão falado pelas minhas amigas lituanas. E por sua história que é muito bonita e inspiradora. 🙂

  2. As emoções que você sentiu Nádia nessa cidade e em outras da Lituânia, tem muito haver com o livro que você leu sobre sincronicidade e por ser o país de seus antepassados. Ótimas viagens pra vocês sempre Nádia.

    1. Isso é verdade, o coração bateu mais forte. Esse lugar é muito especial para os lituanos. Eu tenho muito orgulho de ser descendente desse povo corajoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *