Ásia, Filipinas

Boracay

Antes de fazer o meu mochilão pela Ásia eu já havia ouvido falar em Boracay. Porém, eu não fazia idéia em qual país ficava esse tal desse lugar. Durante a pesquisa que fiz meses antes da viagem, descobri que essa é uma ilha paradisíaca nas Filipinas. E já que eu estava indo para as Filipinas, dei um jeito de incluir Boracay no roteiro.

Boracay era uma ilha remota nas Filipinas que ficou famosa no mundo todo por possuir um trecho de 7 km de praia paradisíaca, conhecida por sua areia branca e águas transparentes. E quando eu digo paraíso, é paraíso mesmo. Ela é um nível tipo de Caribe! Foi por isso que eu incluí Boracay na lista das 5 praias mais paradisíacas que já visitei.

Puka Beach, ilha de Boracay, Filipinas
Puka Beach na ilha de Boracay, nas Filipinas.

Por conta das lindas praias paradisíacas, de suas águas cristalinas, de sua areia branca, de muita diversão e da vida noturna bem agitada, Boracay sofreu muito nos últimos anos com o turismo em massa. O que é uma pena, notar que o país não tem (ou até então não tinha) uma regulamentação do acesso à ilha e preservação do meio ambiente.

Quando visitei a ilha em janeiro de 2016, a ilha estava absolutamente lotada. Todos os hotéis com reservas esgotadas, todos os restaurantes com filas enormes. Ou seja, um caos total.

Dois anos depois que estive em Boracay, o resultado foi melhor do que eu esperava. O governo das Filipinas fechou a ilha por um período de 6 meses. Boracay foi aberta ao público novamente em outubro de 2018. A boa notícia é que agora eles limitam o número de turistas que entram na ilha. Eu pretendo um dia poder voltar na ilha. Os 8 dias que passei aqui foram muito bem aproveitados mas não foram suficientes.

Eu gosto de lugares mais tranquilos e menos turísticos como alguns que visitei na Tailândia. Mas Boracay, mesmo com sua agitação, é uma das ilhas mais lindas que já fui em toda minha vida.

White Beach na ilha de Boracay, Filipinas
White Beach na ilha de Boracay, nas Filipinas.

Como Cheguei Em Boracay

As Filipinas é um país composto por um total de 7641 ilhas. Dessas ilhas, apenas 2000 são habitadas. Então, pra se locomover entre uma ilha e outra os meios de transportes mais utilizados são barcos e pequenos aviões. Antes de ir pra ilha de Boracay, eu estava em Cebu, uma das principais províncias do país.

Reservei meu vôo com a Cebu Pacific com poucos dias de antecedência e mesmo assim consegui um bom preço nas passagens. O vôo partiu do aeroporto internacional de Mactan-Cebu, um aeroporto mais moderno e organizado se eu for comparar com outros aeroportos do país por onde passei.

Aeroporto Mactan-Cebu, Filipinas
No aeroporto internacional Mactan-Cebu pegando vôo para Boracay, nas Filipinas.

Boracay não tem aeroporto. Então nosso avião pousou no aeroporto Godofredo P. Ramos que também é conhecido como Aeroporto Boracay, porém fica em Caticlan. O aeroporto é muito pequeno, se não me engano tem somente 2 portões de desembarque.

Só que para chegar até Boracay ainda é preciso pegar um barco. Na saída do aeroporto ficam vários taxistas e motoristas de tuk-tuk oferecendo pra te levar até o porto. Só que eu vi no mapa do celular que o porto não ficava tão longe assim, seria uma caminhada de um pouco mais de 1 km.

Como eu sou mochileira e gosto de economizar com tudo, decidi fazer esse trajeto a pé. Foi bem tranquilo, o caminho é asfaltado e não é perigoso, sem contar que era por volta do horário de almoço então foi tranquilo. Apesar de que ninguém mais além de mim decidiu ir caminhando!

O porto de Caticlan estava lotado, mesmo assim conseguimos comprar as passagens de barco para Boracay sem muito stress. Ainda tive que pagar uma pequena taxa para o terminal e outra taxa de preservação ambiental. O trajeto de barco de Caticlan até Boracay dura uns 20 minutos.

Barco para Boracay
No barco indo de Caticlan à Boracay, nas Filipinas.

Ao chegar em Boracay desci no porto e já fui abordada por um monte de motoristas querendo me levar até o hotel. Fui falando não e desviando de todo mundo. Decidi que ia fazer o caminho a pé mesmo. Uma porque nao parecia ser tão longe, outra porque eu queria economizar. Péssima idéia! Era bem mais longe do que eu esperava, além disso eu estava carregando meu mochilão de 65 litros e o sol do meio dia tava rachando minha cabeça no meio.

Fui andando pela estrada principal que leva do porto em direção à Station 3, onde ficava o hostel da minha primeira noite em Boracay. Varios taxistas paravam pra perguntar se eu queria ir de carro. Mas como eu já tinha enfiado na cabeça que iria a pé, continuei com meu orgulho bobo e fui a pé. Quase desfalecendo naquele calor, hahaha!

Eis que surge um senhor em uma moto velha caíndo aos pedaços, com um pequeno carrinho do lado que deve ser usado pra carregar lixo e entulho. Ele me ofereceu carona, ao que eu agradeci mas recusei. Ele não falava nada de inglês. Mas ele fez umas mímicas pra que eu pudesse entender que o sol estava muito quente e que não era pra eu ficar andando a pé. Ele insistiu, eu aceitei!

Transporte, triciclo, Filipinas
Esse senhor nos deu carona do porto até o hostel.

Que aventura meus amigos. Fui transportada em uma mini-carroça em uma moto caíndo aos pedaços. Ele passava por motoristas de taxi, buzinava e ria, mostrando aos outros que ele estava com turistas e os outros taxistas não. Foi muito divertido. Ele foi muito querido de ter se preocupando tanto com a gente, e não cobrou nada pela corrida. Hospitalidade incrível em Boracay.

Pontos De Interesse Em Boracay

Puka Beach

Pra mim, a Puka Beach é a parte mais linda da ilha. Eu estava em um hostel um pouco distante daqui, então peguei um triciclo motorizado pra vir pra cá. O motorista me deixou logo na entrada da praia, aonde tem alguns restaurantes e lojinhas vendendo artesanato, a maioria com conchas Puka. Foi daí que surgiu o nome dessa praia.

Hoje em dia praticamente já não tem mais conchas nessa praia. Infelizmente de uns anos pra cá essa região vem sofrendo grandes alterações, principalmente pela construção de um resort enorme, o que fez com que muitas dessas lojinhas e restaurantes desaparecessem do mapa.

Puka Beach em Boracay, Filipinas
Puka Beach na ilha de Boracay, nas Filipinas.

Puka Beach é a segunda maior praia de Boracay, com aproximadamente 1,3 km de extensão. O que eu fiz logo quando cheguei foi andar de uma ponta à outra da praia. Fui caminhando praticamente até aonde dava, até aonde tem umas rochas enormes e não dá mais pra ir pra frente.

A praia em si estava bem vazia quando eu cheguei, não tinha quase ninguém. Mas aos poucos mais e mais pessoas começaram a chegar. Mesmo assim a praia não encheu.

A areia da praia é famosa por ser bem branquinha. A cor da água é um azul lindo, a água é bem clarinha e a temperatura é uma delícia. Só que o mar aqui não é tão calminho como em algumas outras partes da ilha. Então todo cuidado é pouco. Definitivamente essa é uma das praias mais lindas que eu já vi na vida. É a definição exata de paraíso.

Depois de curtir muito e passar o dia todo na praia foi hora de voltar pro centro de Boracay. Fui caminhando de volta até aonde o motorista tinha me deixado na parte da manhã. Tinham alguns triciclos estacionados ali logo na entrada da praia. Então foi só chorar um pouquinho o preço, geralmente eles cobram bem mais do que a corrida vale porque essa área é bem turística. Na minha opinião, todo mundo que visita Boracay devia ir conhecer a praia Puka Beach.

White Beach

A praia de White Beach é a maior e mais famosa praia de Boracay. Ela fica na região central da ilha, repleta de restaurantes, cafés, bars e resorts ao longo de toda sua extensão. Por esse motivo, a praia é sempre bem cheia de gente principalmente à noite. Então se você quer ficar próximo de tudo e bem localizado na ilha, eu sugiro que você escolha um hotel perto dessa praia.

Praia White Beach em Boracay, nas Filipinas
Praia White Beach em Boracay, nas Filipinas.

A praia se extende por 4 km, quase todo o comprimento da ilha. Ela é dividida em 3 partes: Station 1, Station 2 e Station 3. Não dá para notar nenhuma separação entre essas partes da praia.

Na Station 1 fica o Willy’s Rock, uma das atrações mais famosas de Boracay. Aqui também ficam alguns dos resorts mais luxuosos da White Beach. A Station 2 é a parte mais cheia da praia, pois fica bem no meio da ilha. Um dos principais centros comercias, o D’Mall, se encontra aqui. A Station 3 é a parte mais calma da praia. Também é aqui que se encontram grande parte dos hostels, onde a galera mochileira costuma ficar.

A cor da água é insana, são vários tons de azul clarinho. Sem contar na transparência da água. Mesmo em pé da pra ver o pé da gente certinho no fundo da água. Essa praia é daquelas mais calminha sem ondas, perfeito pra quem quer nadar ou ficar só de boa relaxando. Eu adoro praia assim! Na verdade eu gosto de praia de qualquer jeito, com onda ou sem onda, praia linda igual essa aqui fica impossível não se apaixonar.

A areia dessa praia é outro motivo de Boracay atrair tantos turistas. Em poucos lugares da Ásia a areia é tão fininha e tão branca. Outro fato interessante é que essa areia não esquenta! Mesmo o sol rachando na nossa cabeça a areia continua geladinha.

Essa também é a praia dos lindos coqueiros alinhados que você já deve ter visto em muitas fotos por aí. Outra diversão dos turistas enquanto em Boracay, é assistir o pôr-do-Sol maravilhoso daqui da White Beach. Não deixe de vir um final de tarde conferir esse show magnífico da natureza!

Willy’s Rock

Esse deve ser um dos marcos mais fotografados de Boracay. A ilha leva esse nome por causa do hotel Willy’s Beach Club que fica quase logo bem em frente, na região da Station 1. Essa pequena ilha rochosa com pouca vegetação possui uma imagem da Virgem Maria no topo da escada. Dá pra ir caminhando tranquilo até lá quando a maré está baixa, também é possível subir as escadas e conhecer lá em cima das rochas.

Willy’s Rock na praia de White Beach
Willy’s Rock na praia de White Beach, em Boracay.

Diniwid Beach

A praia Diniwid Beach fica ao norte da White Beach, porém elas são separadas por rochas. Porém, dá pra andar de uma à outra, que foi o que eu fiz. Eu peguei um triciclo e pedi pro motorista me deixar na entrada da rua que leva até a praia, na estrada mesmo pois eu queria fazer o resto do caminho andando.

Praia Diniwid Beach em Boracay, nas Filipinas
Praia Diniwid Beach em Boracay, nas Filipinas.

Caminhei a praia toda até chegar às rochas, eu não sabia que ali tinha acesso à White Beach. As duas praias são separadas por essas rochas. Mas tem uma trilha bem estreitinha ao lado das rochas que conecta essas duas praias. Tinham pouquíssimas pessoas fazendo essa trilha.

Eu aproveitei que não tinha ninguém por perto pra curtir a vista da praia de Diniwid de um outro angulo, pular das rochas dentro da água junto com crianças locais e nadei e curti muito porque só tinha eu ali. Daqui dessa trilha tem também uma linda vista para a praia de White Beach. Vale muito a pena fazer essa caminhada e conhecer essa parte da ilha.

Bulabog Beach

O nome dessa praia podia ser praia do vento. Nossa, como venta nesse lugar! Mas toda essa ventania é super bem aproveitada por aqui. Pois a galera vem pra cá para praticar windsurfing, kite-surfing e outros esportes aquáticos. O bom é que tem também algumas escolas pra quem quiser aprender esses esportes radicais.

Cheguei nessa praia bem no comecinho da manhã. A praia estava bem vazia, as escolas e os restaurantes estavam começando a abrir as portas. Apesar de já ter gente praticando esportes no mar, a praia em si estava bem vazia.

No geral acho que essa foi a única praia que eu não curti tanto, porque eu prefiro aquelas praias pra banho, que dá pra gente estender a canga e torrar no sol. Acho que aqui a vibe não é muito essa. Mas deve ser legal tomar uns drinks nos barzinhos olhando o povo praticando kite-surfing no mar! Ficou faltando fazer isso. Mais um motivo pra eu ter que voltar pra Boracay.

Bulabog Beach nas Filipinas, kitesurfe e windsurf
Bulabog Beach em Boracay, nas Filipinas. (Foto do pinterest de Mangoriders Kiteschool)

Igreja Our Lady Of The Most Holy Rosary

Essa é uma pequena igreja católica localizada na região da Station 1. O que mais me chamou atenção foi esse mosaico com a imagem de Jesus logo na entrada da igreja. Aqui eles fazem missa em inglês quase todos os dias. Os turistas são bem-vindos, apesar de que eu vi bem poucos caminhando por aqui.

Holy Rosary Parish, igreja católica
Igreja Our Lady of the Most Holy Rosary, em Boracay.

O Lado Da Ilha Que Ninguém Mostra

Na verdade eu acho que ninguém mostra porque ninguém nem vê. Eu vi porque sou curiosa, entro em qualquer beco, subo qualquer morro e vou me enfiando por lugares que não são turísticos. Foi em uma dessas minhas caminhadas pela ilha sem roteiro nenhum que cheguei em bairros onde não há hotéis e restaurantes.

São bairros aonde os locais moram. Essa é a realidade das pessoas que trabalham nos resorts chiquérrimos, nos restaurantes e tudo mais. Essas são as pessoas que fazem a ilha acontecer. Suas casinhas são bem pequenas e bem simples. Na verdade a maioria são barracos feitos de madeira. Enquanto caminhava pelo bairro encontrei alguns moradores e crianças locais. Acho que eles não são muito acostumados a ver turistas por ali.

Eu acho importante conhecer todos os aspectos e a realidade do local que a gente visita. Pra mim é importante sair das rotas turísticas, daquilo que está sempre bonitinho e arrumadinho para os olhos dos turistas. Eu gosto de conhecer bairros locais, restaurantes não frequentados por turistas. Geralmente assim eu tenho uma visão mais realista do lugar e sempre acabo vivendo experiências memoráveis.

Onde Se Hospedar Em Boracay

Dave’s Straw Hat Inn
Eu reservei esse hostel pela internet antes de chegar em Boracay. O hostel fica localizado na Station 3, escondidinho bem no meio da vila. Eu gostei bastante do lugar assim que cheguei, porque ele parece um jardim privado. Tem muita vegetação, muitas árvores, enfim, muito verde em volta. Fui super bem recebida pelos funcionários do hostel. Enquanto meu quarto não estava pronto, fiquei sentada na varanda do hostel, local onde tem uma coleção bem legal de livros deixados por mochileiros.

O que eu não gostei muito foi do quarto. Tudo bem que era simples, eu já estava esperando por isso pelo preço que paguei pela diária. Mas tinham dois problemas. O primeiro foi que o ventilador do quarto não estava funcionando. Gente, dormir sem ar-condicionado até vai, mas sem ar-condicionado e sem ventilador num calor de uns 30 graus, aí já é demais.

O segundo problema foi com o ralo do chuveiro. Nossa, pensa numa pessoa sortuda pra cair em quarto com ralo entupido. Na hora do banho a água não escoa, então vai acumulando até formar um poça de água suja que bate no meio do calcanhar. Ecaaa, nojo!! Então só fiquei aqui a primeira noite e depois disso zarpei fora.

Ernest’s Place Boracay
Quando eu decidi que não ia mais ficar no hotel ali de cima, fui andando a ilha toda, procurando por um outro lugar. Duas coisas eram as principais para mim: o preço e a limpeza do quarto. Eu não me importei muito com a localização porque a ilha é pequena, uma caminhada ou um tuk-tuk você chega em qualquer lugar.

Quando eu já estava quase desistindo de procurar (pois fui andando da Station 3 até a Station 1) cheguei nesse hotel que é gerenciado por uma família de uma senhora e a mãezinha dela. Dois amores. Já me senti em casa, só pela recepção maravilhosa delas. Tinha apenas um quarto vazio, com duas camas de solteiro. Lógico que eu pedi pra dar uma olhada antes de fechar negócio. Gostei bastante do quarto, ele era bem grande e estava tudo super limpinho e organizado. Tinha até um frigobar!

Agora presta atenção nessa dica de mochileira raíz. Perguntei o preço e a dona me falou o valor. Agradeci e disse que ia pesquisar mais um pouco. Nessa, do lado de fora na rua eu olhei o preço do quarto no site do Agoda, e se eu reservasse por esse site ia sair mais barato do que o valor que a mulher tinha me dito. Quem é mochileiro sabe, qualquer economia é válida. Reservei um quarto aqui para 2 dias. Acabei ficando 7.

Com certeza eu indico esse lugar e eu sempre falo, que se um dia eu voltar para Boracay com certeza vou querer me hospedar aqui de novo. Essa foi minha casa na ilha, um lugar muito tranquilo, espaçoso, com ótimo atendimento e ainda por cima, bem localizado, entre a Station 2 e a Bulabog Beach. Aqui perto tem vários cafés, restaurantes, caixa eletrônico e etc.

Onde Comer Em Boracay

I Love Backyard BBQ
Esse restaurante fica em uma área mais turística da ilha, que é chamada de D’Mall. Um centro comercial à céu aberto, lotado de lojas, restaurantes e turistas. Por conta disso, o preço  é um pouco mais caro do que outros que eu visitei na ilha. Mas valeu a pena. O atendimento foi bom, achei a comida bem saborosa também.

Esse lugar é ótimo pra quem tem dificuldade em comer comidas locais, pois eles servem varias carnes grelhadas. Quando cheguei aqui estava lotado, nem tinha mesa vazia. Mas esperei um pouquinho do lado de fora e logo eles arranjaram uma mesa pra mim.

Restaurante I Love Backyard BBQ, nas Filipinas
Restaurante I Love Backyard BBQ, em Boracay.

Los Indios Bravos
Esse restaurante bem moderninho, estilo pub. Fica na mesma rua do meu hostel, apenas alguns minutos andando. Ele é bem turístico, apesar de não ficar em uma área tão bem localizada, mas só dá turistas aqui. A decoração é bem bonita, a atmosfera do local também. Sempre que eu vinha aqui estava cheio.

A comida é ótima, as opções são bem parecidas com àquelas de pubs londrinos, por exemplo, eu experimentei o hambúrguer e a cottage pie. Vale a pena pra quem quiser conhecer um local diferente, ou pra quem já estiver cansado de comida asiática.

Cottage pie do restaurante Los Indios Bravos, nas Filipinas
Cottage pie do restaurante Los Indios Bravos, em Boracay.

Two Brown Boys
Mais um restaurante estilo pub, com opções de comidas mais comum pro nosso paladar ocidental. Eu já comentei algumas vezes aqui no blog que eu como de tudo, não tenho problema nenhum quando viajo em só viver à base de comida local. Porém meu noivo não. Ele prefere comida ocidental. Então por esse motivo, a gente sempre acaba conhecendo os restaurantes mais turísticos.

Fomos ao Two Brown Boys uma noite para experimentar os hambúrgueres, e eu super recomendo. Apesar de ser um hambúrguer meio pequeno, é super saboroso. O restaurante é muito bonitinho, a estrutura é toda de bamboo. Vale a pena conhecer.

Hambúrguer do restaurante Two Brown Boys, nas Filipinas
Hambúrguer do restaurante Two Brown Boys, em Boracay.

Steve’s Cliff
Cheguei nesse restaurante por um acaso, em uma das minhas andanças pela ilha. Se não me engano o restaurante faz parte do Boracay Terraces Resort, mas o nome dele é Steve’s Cliff. O que mais encanta aqui é a bela vista para o mar azul de Boracay. Quando cheguei aqui estava tocando Bossa Nova no restaurante, nada melhor pra um belo dia de sol e praia.

A decoração do restaurante é bem bonita, a estrutura é toda de bamboo. Tem uma varanda com cadeiras pra quem quiser comer do lado de fora. Do lado de dentro é bem iluminado e fresquinho. Os preços aqui são um pouco mais caros mas ainda assim são acessíveis. Eu na verdade só fiquei para um drink, talvez dois, mas valeu a pena pra conhecer.

Restaurante Steve’s Cliff, ilha paradisíaca das Filipinas
Vista da minha mesa no restaurante Steve’s Cliff, em Boracay.

Julie’s Bakeshop
Essa é a padaria que eu visitei quase todos os dias que estive em Boracay. Por ficar bem pertinho do hostel, eu vinha aqui buscar pão e doces super fresquinhos que eles vendem aqui. Eles tem tanta opção que eu sempre pegava um de cada pra poder experimentar tudo. Uma das minhas favoritas era essa bolachinha de côco. Tudo uma delícia e melhor ainda, bem baratinho.

Julie’s Bakeshop, padaria nas Filipinas
Pãezinhos e docinhos da Julie’s Bakeshop (finge que você não está me vendo no vidro do balcão).

Veja todos os posts das Filipinas no Mais um Destino.

Vai passar mais do que um dia em Boracay? Reserve seu hotel no booking.com usando o link do blog. Além de oferecer segurança e acomodações incríveis, você ainda me ajuda a manter o Mais um Destino no ar sem pagar nada por isso! Muito obrigada. 🙂

Compartilhe:

2 comentários em “Boracay”

  1. Uaauu, quantas belezas e quantas informações, até parece que vocês passaram meses em Boracay, que realmente é um paraíso, por tudo que você descreveu e por todas fotos maravilhosas. Parabéns.

    1. Essa ilha é uma das lindas que eu já fui na minha vida. Eu consegui ver e fazer bastante coisa em Boracay, mas ainda tem muito mais pra conhecer. Espero um dia poder voltar. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *