África, Marrocos

Ait Benhaddou

Post 1 de 4 – Viagem para o Deserto do Saara

A viagem de Marraquexe para o Deserto do Saara começou aqui. Como eu tinha os dias contados no Marrocos não podia perder tempo. Eu sempre quis muito conhecer o deserto, então antes de viagem pesquisei todas as opções que haviam pra chegar até as dunas de Erg Chebbi em Merzouga e de lá ir para Fes. Basicamente eram duas opções: fazer por conta própria pegando o transporte público (opção mais barata e demorada) ou reservar um pacote com uma agência de turismo (opção mais cara e rápida). Escolhi a segunda opção por dois motivos: 1- iria me salvar um dia de estrada, o que significa um dia extra pra conhecer outro lugar; 2- comodidade em não ter que me preocupar com acomodação/transporte e etc. Foram 3 dias inteiros e mais de 1000km percorridos. Decidi dividir essa viagem em um série de 4 posts pra ficar mais fácil compreender o roteiro. A primeira parada foi o kasbah de Ait Benhaddou, localizado na província de Ouarzazate.

Kasbah de Ait Benhaddou

O dia começou bem cedo. Saímos de Marraquexe por volta das 7 horas da manhã, quando o motorista do passeio veio nos buscar na nossa riad. A maioria dos passeios que saem de Marraquexe para o deserto fazem um roteiro similar, atravessam as montanhas do Alto Atlas, parando em alguns pontos no meio do caminho pra tomar um cafézinho da manhã, esticar as pernas e tirar umas fotos. Aos poucos fomos deixando o caos de Marraquexe pra trás e seguimos viagem com as belíssimas montanhas de cenário de fundo.

Linda paisagem do caminho.

Pra quem não tem interesse ou tempo de ir até o deserto, existem muitas agências de turismo em Marraquexe que vendem passeios de ônibus de um dia (bate-volta) até Ait Benhaddou. Algumas dessas excursões também param em outros kasbahs menos famosos mas não menos interessantes. Compensa muito pra quem quer conhecer um poquinho mais do país além de Marraquexe. Na minha opinião, a paisagem do passeio por entre as montanhas do Alto Atlas por si só já é de deixar qualquer um admirado com a beleza natural desse país. Eu não sabia que o Marrocos iria me supreender tanto com sua beleza.

Montanhas do Alto Atlas.

Outra parada bem legal que fizemos ao longo do caminho foi em Tizi N’tichka, uma passagem nas montanhas com 2260 metros de altitude. As estradas no Marrocos são famosas por serem perigosas e em péssimas condições mas eu tenho que discordar, andei mais de 1000km por dentro do país e definitivamente não tem nada de que se preocupar.

Vista do Tizi N’tichka.

Quase no final da manhã, depois de algumas horas de estrada, chegamos ao kasbah de Ait Benhaddou. Pra ficar um pouco mais claro, kasbah é um exemplo de arquitetura tradicional marroquina: um grupo de edifícios protegidos por alto muros, reforçados por torres nos cantos, que foram construídos principalmente para a proteção contra ataques, assim como servir de abrigo à temperaturas muito altas ou baixas. Por ser um posto comercial, caravanas que vinham do antigo Sudão com destino à Marraquexe paravam aqui por alguns dias antes de seguirem viagem.

O kasbah de Ait Benhaddou foi construído no século 17 e hoje é considerado um patrimônio da UNESCO. Existem centenas de kasbahs no Marrocos, inclusive tem um passeio que se chama “A Rota dos Mil Kasbahs” pra quem se interessar em conhecer mais sobre a história fascinante deles. Alguns são bem preservados, outros nem tanto assim, mas com certeza o mais famoso e visitado de todos eles é o kasbah de Ait Benhaddou.

O motorista do passeio me apresentou ao guia que me acompanharia até o alto do kasbah, o valor do guia já estava incluso no pacote. Da avenida principal descemos por uma pequena aldeia até a ponte que serve de acesso entre a parte mais nova e mais antiga do kasbah. Essa ponte foi construída pela UNESCO como parte de seu trabalho de preservação do local, como assim me explicou o guia. Vi que tinham alguns grupos de pessoas atravessando pelo leito do rio que estava quase seco, a vista lá debaixo deve ser bem bonita.

Enquanto caminhávamos por entre as principais construções e vielas do kasbah o guia ia me explicando um pouco mais da história do lugar. Ao longo do passeio pude notar varias lojinhas vendendo artesanato e souvenirs. Não adianta, aonde tem turista tem comércio! Mas nesse caso eu diria que até deu vida e cor para o lugar.

No meio do caminho paramos em uma lojinha de um artista local que nos demonstrou uma técnica que era muito utilizada antigamente como uma das formas de comunicação entre os povos que viviam nesse local. Em um papel branco ele desenha com uma aquarela que mistura água, açafrão, chá e indigo. Esse papel é depois colocado contra a chama de uma vela e acaba por tomar lindas cores e formas. Dá para adquirir o trabalho feito ali na hora na sua frente ou outros de tamanhos e desenhos variados que ficam expostos na lojinha.

Ait Benhaddou também é famoso no cinema, pois serviu de palco para a gravação de vários filmes incluíndo, A Múmia; O Gladiador; Cruzada; Babel; Lawrence da Arábia; Alexandre o Grande; O Filho de Deus; Príncipe da Pérsia e alguns episódios de Game of Thrones. Pra nomear alguns, visto que a lista é grande. A subidinha até o topo é cansativa mas a vista lá de cima vale a pena.

Essa viagem incrível continua no próximo post: Boumalne Dades


Nota: Fiz uma tour privada de 3 dias com o roteiro Marraquexe→Deserto do Saara→Fes. Tivemos varias paradas nos principais pontos turísticos ao longo do caminho. Não é a opção mais barata mas é a mais prática. Lógico que dá pra fazer tudo isso por conta própria, porém tem que fazer algumas trocas de ônibus ao longo do caminho o que acaba por te tomar mais tempo. Optei por fazer a tour privada pois ela dá uma liberdade maior, você não tem que ficar esperando ninguém, é tudo no seu passo, se você quer ficar mais tempo em um ponto ou outro é você quem decide. Eu pesquisei diversas agências de turismo que fazem o passeio no deserto e depois de comparar preços, acomodação, intinerários eu optei pela Marvelous Morocco Tours. Pra esse passeio eles tem 3 pacotes diferentes: o econômico, o intermediário e o de luxo, optei pelo intermediário e a única coisa que muda entre os 3 é o hotel do primeiro dia. Gostei do profissionalismo deles, foram muito eficientes desde a troca de emails com Iddir até o momento que o guia Ibrahim me deixou na riad em Fes. Não precisei me preocupar com absolutamente nada. O nosso guia dirigia super bem, falava inglês e outras 5 línguas. Estou satisfeita com a escolha e indico pra quem estiver pensando em fazer um passeio desses. É um investimento que vale a pena.


Posts Relacionados:

• ROTEIRO DE 3 DIAS EM MARRAQUEXE
• ROTEIRO DE 10 DIAS NO MARROCOS

Compartilhe:

2 comentários em “Ait Benhaddou”

    1. Muito obrigada pelo comentário. Espero poder te ajudar com as dicas do blog, ainda preciso escrever sobre muitos lugares, mas o que precisar é só pedir. Valeu pela força 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *